SP ganhou um café especial: sua proprietária, uma cozinheira de mão cheia, tem síndrome de Down

A síndrome de Down nunca impediu a paulista Jéssica Pereira de buscar seus sonhos. Aos 25 anos, ela abriu o próprio negócio e emprega outras pessoas com a mesma deficiência

por Patrícia Affonso

Jovem com síndrome de Down abre café em São Paulo | <i>Crédito: ARQUIVO PESSOAL
Jovem com síndrome de Down abre café em São Paulo | Crédito: ARQUIVO PESSOAL
Desde pequena eu já gostava de ajudar minha mãe na cozinha. Percebendo meu interesse e habilidade, meus pais me matricularam em diversos cursos de culinária como incentivo. Frequentei, por exemplo, as aulas da ONG Instituto Chefs Especiais e aprendi com grandes nomes da gastronomia, como Henrique Fogaça e Claude Troisgros

No início do ano, abri meu coração para a minha família e falei do meu sonho: ter meu próprio café, com uma proposta inclusiva. Estava guardando economias havia cinco anos — cachês de apresentações de teatro e de trabalhos que realizei como atendente. Minha irmã e meu cunhado ficaram tão animados que resolveram adiar a compra da casa própria para investir no meu espaço, como sócios. Todos se envolveram na pesquisa, escolha do local, compra dos equipamentos, reforma... Foi uma força-tarefa! 

Em julho, abrimos as portas do Bellatucci Café, na zona sul de São Paulo. Como eu desejava, o espaço ficou muito gracioso e remete a uma casa de bonecas. Além de cafés e suas variações, preparo delícias como nhoque de mandioquinha, bolos e panquecas. Escolhi quatro amigos com Down para integrar a minha equipe. Eles são fera: uma das funcionárias tem curso de barista, outro, de salgadeiro, e dois possuem formação de garçom. 

Meu café também dará oportunidade para que pessoas com a síndrome apresentem seus talentos em outras áreas, com apresentações de dança, exposições de fotos, quadros, música etc. Traremos ainda especialistas de diversas áreas para dar palestras para orientar os familiares dos portadores de Down. 

Apesar de amar a cozinha, faço questão de passar nas mesas e falar com os clientes. Gosto de agradecer por visitarem o espaço e saber se gostaram da minha comida. O Bellatucci é especial porque, além de oferecer comidas deliciosas, é um lugar repleto de alegria e livre de preconceitos. Nossa equipe mista troca conhecimentos, se apoia e está sempre pronta para receber as pessoas com um sorriso no rosto.

17/10/2017 - 12:41

Conecte-se

Revista Máxima