Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos / Desabafo

Após ser deixada de lado em categoria em premiação, Ludmilla desabafa sobre falta de representatividade e cancela performance no evento: "Uma cantora negra, bissexual, funkeira, periférica"

Embora tenha sido indicada em outras categorias, a artista não está entre os nomes no tópico "Cantora do Ano"

Máxima Digital Publicado em 19/10/2021, às 13h00

Após ser deixada de lado em categoria em premiação, Ludmilla desabafa sobre falta de representatividade e cancela performance no evento - Instagram
Após ser deixada de lado em categoria em premiação, Ludmilla desabafa sobre falta de representatividade e cancela performance no evento - Instagram

Nesta terça-feira, 19, Ludmilla se posicionou e desabafou sobre o fato de ter sido deixada de lado na categoria "Cantora do Ano" no Prêmio Multishow. 

Embora tenha sido indicada em outras categorias da premiação, a artista falou que esse tipo de atitude da organização é uma falta de representatividade de uma mulher negra, periférica e bissexual. 

A cantora usou os números alcançados em sua carreira para justificar o motivo pelo qual deveria ter sido indicada. "Sou a primeira cantora negra da América Latina a acumular 1 bilhão de streams só no Spotify, hoje são mais de 1,5 bilhão de plays nas plataformas. Meus clipes somam 2,5 bilhões de views, 'Rainha da Favela' ficou meses entre as músicas mais tocadas. São os números que falam", disse em seu perfil no Twitter.

Com mais informações sobre sua jornada na música, ela continuou: "Só esse ano lancei o 'Numanice' ao vivo, projeto que impactou a cultura brasileira e revolucionou o mercado do pagode de um jeito jamais visto, por ser uma mulher a frente do projeto, projeto que garantiu o vídeo musical solo mais visto de 2021 por uma cantora pop brasileira"

"'Deixa de Onda', 'Pra Te Machucar', 'Gato Siamês', 'Apê 1001', o 'Lud Session' então nem se fala, tá na boca do povo. Desde quando ganhei a primeira vez e impactei todo o sistema por ser a primeira cantora negra a ser indicada e a vencer essa categoria em 26 anos de prêmio", prosseguiu. 

Lud disparou: "Uma representante das minorias, uma cantora negra, bissexual, funkeira, periférica, nunca mais fui indicada na categoria ‘Cantora do Ano’. Infelizmente essa é a forma que o sistema te boicota! Mesmo eu sendo indicada em outras categorias da premiação".

A cantora desabafou: "É nítida a falta de reconhecimento e entendimento das (poucas) premiações que temos aqui no Brasil. Assim como eu, vários artistas de vários segmentos e bandeiras que mereciam ser indicados ou serem reconhecidos da mesma forma que entregam conteúdos para seus públicos e estão na mesma situação"

Por fim, a artista anunciou que estava cancelando sua apresentação durante o evento. 

"Venho por meio desse tweet avisar a todos e ao Multishow que não me apresentarei mais no prêmio esse ano. Obrigada pelo convite, mas onde não sou bem-vinda prefiro não estar só por educação. Boa festa a todos", declarou. 

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI