Gastroplastia endoscópica

Saiba mais sobre o procedimento moderno e menos invasivo para combater a obesidade leve

Diane Neubüser

Gastroplastia endoscópica pode ser a solução para quem tem obesidade leve. | <i>Crédito: Foto Shutterstock
Gastroplastia endoscópica pode ser a solução para quem tem obesidade leve. | Crédito: Foto Shutterstock

Hoje, metade da população mundial está acima do peso ideal. Entre os jovens de 18 a 24 anos, o número de casos praticamente dobrou na última década. Daí a necessidade de, além de conscientizar a população, encontrar soluções para reverter o problema. 

O que é uma gastroplastia endoscópica?

"O procedimento consiste na introdução de um equipamento flexível pela boca, como acontece nos exames endoscópicos. Com ampla visão do estômago, realizamos suturas no órgão, deixando-o com a forma tubular. O procedimento é realizado em ambiente hospitalar, dura em média 60 minutos, e prevê apenas um período de quatro horas para que o paciente se recupere sob monitoramento, sendo liberado na sequência. Em casa, deve apenas seguir uma dieta antecipadamente prescrita por seu médico”, explica cirurgião e endoscopista Eduardo Grecco, um dos responsáveis por trazer o método endosleeve de gastroplastia endoscópica para o Brasil.

A técnica é indicada para pacientes com obesidade de grau leve - com IMC (Índice de Massa Corporal) de 30 a 35 - e que não conseguem perder peso com exercícios físicos e dieta.

A gastroplastia endoscópica substitui a cirurgia bariátrica?

“A cirurgia bariátrica ainda é considerada o tratamento mais seguro e efetivo para tratar obesidade pesada e mórbida. Sendo assim, a gastroplastia endoscópica não compete com a cirurgia bariátrica, atendendo apenas pessoas com obesidade inicial. Os resultados da bariátrica são excelentes para quem tem IMC superior a 40 ou ainda IMC 35 com doenças associadas. Mas quem está sofrendo de obesidade leve a moderada – que não é um candidato à bariátrica – tem se beneficiado bastante com a perda de peso e as vantagens associadas à gastroplastia endoscópica, como deixar de fazer uso de moderadores de apetite que podem fazer mal à saúde no longo prazo”, esclarece o especialista.

02/01/2018 - 12:00

Conecte-se

Revista Máxima