Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos » Preconceito

Cacau Protásio chora e lamenta após ouvir comentários racistas e gordofóbicos: ''Porque tanto ódio?''

Cacau Protásio não conseguiu segurar as lágrimas em vídeo lamentando atitude preconceituosa de bombeiros

Máxima Digital Publicado em 27/11/2019, às 11h14 - Atualizado às 13h03

Cacau Protásio lamentou áudios racistas e preconceituosos
Cacau Protásio lamentou áudios racistas e preconceituosos - Instagram

Cacau Protásio enfrentou uma triste realidade e resolveu se pronunciar nesta terça-feira, 27. 

Depois de gravar cenas para seu filme ''Juntos e Enrolados'' no Quartel-Central do Corpo de Bombeiros, no Centro do Rio, bombeiros da corporação filmaram um trecho da gravação e trocaram áudios em grupos no WhatsApp a ofendendo, de acordo com a atriz.

''Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável.", dizia um dos áudios divulgados por Léo Dias.  

A global utilizou sua conta no Instagram para publicar uma sequência de quatro vídeos no qual explicita sua tristeza com a atitude racista e preconceitua dos bombeiros.

 "Sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz. Eu conto história, conto ficção e eu não mereço ser agredida assim", disse. 

Ela destacou que racismo é crime e contou que queria ser bombeira quando criança.

Emocionada ela disse: "Eu sei que sou uma pessoa forte, mas ouvir tudo isso de um ser humano é horrível, muito triste. Como uma pessoa que veste uma farda tão linda tem esta postura?"

ENTENDA O CASO

Cacau Protásio foi bombardeada com ofensas agressivas em áudios trocados entre bombeiros do Rio de Janeiro, de acordo com o colunista Léo Dias.

A atriz utilizou o espaço do Quartel-Central do Corpo de Bombeiros, no Centro do Rio para gravar cenas de seu filme 'Juntos e Enrolados'. 

Nas redes sociais, a global apareceu de farda e compartilhou cliques de agradecimento aos bombeiros, no entanto, áudios vazados revelaram o descontentamento de alguns profissionais com a presença da artista no local.

 "Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do Vai que Cola, aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz. Qual é a desse comandante? Vai deixar uma p***** dessas no pátio do quartel?", dizia um dos áudios. 

Outro áudio bastante ofensivo foi vazado: ''Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável". 

A equipe da Máxima Digital entrou em contato com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro e o posicionamento foi o seguinte: 

"O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que não compactua com qualquer ato discriminatório. A corporação se solidariza com a atriz Cacau Protásio e já abriu procedimento interno para identificar o(s) militar(es) e apurar a conduta.

O CBMERJ reforça o seu compromisso com a população de Vida Alheia e Riquezas Salvar independente de cor, gênero, raça ou qualquer outra distinção. Os atos divulgados não representam a corporação centenária que, por anos seguidos, é considerada a instituição mais confiável do Brasil".

 

Ver essa foto no Instagram

Vídeo 3.

Uma publicação compartilhada por Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) em