Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos / HOMOFOBIA

Monique Evans revela ter sido vítima de preconceito dentro de Igreja Evangélica: ''Massacraram''

A ex-modelo namora com a DJ Cacá Werneck desde 2015

Máxima Digital Publicado em 14/06/2019, às 14h00 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Monique Evans e Cacá Werneck - Reprodução/Instagram
Monique Evans e Cacá Werneck - Reprodução/Instagram

Monique Evans e Cacá Werneck vivem um romance desde 2015, quando expôs sua bissexualidade na mídia.

A modelo revelou que a partir do momento em que assumiu publicamente seu namoro, muitas coisas mudaram, inclusive, sua relação com a igreja.

Em entrevista ao jornalista Leo Dias, Monique revelou que deixou de ser evangélica devido o excessivo preconceito que sofreu dentro da igreja:

“Só tenho Deus no coração agora. Estavam me cobrando demais só porque eu namoro uma mulher. Quando comentam são aqueles ‘crentes’. Eles perguntam: ‘Ué, você não protestante?’. Aí, me cobram demais, sabe?”, desabafou.

A amada da loira também não escapou dos ataques. Além da pressão sofrida pela religião, ela garante que ambas foram massacradas:

“Quando nós nos assumimos a igreja massacrou a gente. Por sermos duas mulheres o julgamento foi imenso”, relembra.

“O mundo tá realmente careta. Hoje em dia não pode mais nem colocar mamilo de fora no Facebook. Isso é surreal. Estamos vivendo um momento muito estranho. Tá rolando muita cobrança por tudo. Cada um tem seu jeito de amar, mas o mundo não aceita”, finalizou a mãe de Bárbara Evans.

 

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI