Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Saúde e Bem Estar / Cirurgia íntima

Cirurgia íntima: Conheça o procedimento que busca o conforto das mulheres

O Dr. Marcelo Daher explicou sobre a cirurgia íntima

Máxima Digital Publicado em 10/05/2022, às 14h20

Cirurgia íntima: Conheça o procedimento que busca o conforto das mulheres - Freepik
Cirurgia íntima: Conheça o procedimento que busca o conforto das mulheres - Freepik

A região íntima das mulheres é uma área bem delicada e demanda cuidados e atenção. 

De acordo com uma pesquisa feita em 2017 pela Isaps (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética), o Brasil está em primeiro lugar no ranking de países que mais fazem a ninfoplastia, cirurgia íntima feminina.

Também conhecida como labioplastia ou plástica dos pequenos lábios, o objetivo é diminuir os pequenos lábios ou corrigir assimetrias.

O aumento pela procura desse procedimento está relacionado a vários fatores, como o desconforto funcional (dispareunia - coito doloroso, ejaculação precoce, entre outros), incômodos em atividades diárias e procura por uma genitália apontada como ideal.

"Independente do motivo, essa questão causa, em algumas pessoas, vergonha e baixa autoestima, e interfere diretamente na vida sexual", comentou o cirurgião plástico, Marcelo Daher, diretor da Interclínica-Centroplástica, no Rio de Janeiro, e que criou o procedimento Ninfoplastia em Estrela, que permite com que não se crie sinais cirúrgicos na borda da ninfa e enxerta gordura nos grandes lábios, que se tornam flácidos com a idade.

O especialista falou que isso infere na vida da pessoa: "Isso faz uma grande diferença estética para a paciente".

Grande parte da ala feminina tem a ideia de que os lábios menores devem ser cobertos pelos maiores, porém não existe um padrão. De acordo com o médico, a hipertrofia dos pequenos lábios vulvares pode acontecer praticamente em qualquer idade após a puberdade.

Existem grandes assimetrias e variações de tamanho. Ao entender essa informação, a mulher pode decidir sobre a necessidade deste tipo de procedimento.

"Já tive pacientes de todas as idades, desde pré-adolescentes, inclusive virginais, até pessoas acima de 50 anos. Não há nenhuma contraindicação específica para essa cirurgia e o tempo de recuperação não é demorado, pois a cicatrização é rápida. Depois de uma semana, a pessoa pode retornar ao trabalho, com os cuidados de higiene e pequenas restrições, e ter relação sexual 10 ou 12 dias pós-operatório”, concluiu Dr. Marcelo.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI