Dentista alerta para o perigo de realizar clareamento dental caseiro

Entenda quais os riscos que a técnica oferece

Gabriella Gouveia

Dependendo da periodicidade, os dentes podem ficar mais sensíveis, por isso, o ideal é evitar fazer o procedimento com muita frequência | <i>Crédito: Shutterstock
Dependendo da periodicidade, os dentes podem ficar mais sensíveis, por isso, o ideal é evitar fazer o procedimento com muita frequência | Crédito: Shutterstock

Um sorriso branco é o desejo de muitos brasileiros. Não é para menos, uma vez que o Brasil está entre os países que mais se preocupam com a estética no mundo. Por isso, a busca por clareamento dental é crescente e entre os fatores que impulsionam esse mercado estão o custo mais acessível e a facilidade de realizar o tratamento em casa. É aí que está o perigo: diante de tantas possibilidades, muitas pessoas optam por fazer o procedimento por conta própria, sem a orientação de um profissional.

 Para Jane Tonani, odontologista da Porto Seguro Saúde, o clareamento é um procedimento estético que requer muito cuidado, seja ele realizado em casa ou no consultório. “É imprescindível consultar um profissional para orientar sobre a concentração ideal do produto, regime de uso, grau de branqueamento e periodicidade”, explica.

 Confira algumas curiosidades acerca do tema:

 Tipos de clareamento dental

Existe o clareamento feito em casa sob as orientações do dentista e os procedimentos realizados no consultório. No primeiro caso, o profissional examina o paciente, solicita a confecção da moldeira, que tem que ser flexível e deve ficar o mais fiel possível ao formato da boca do paciente, e recomenda o uso de tubetes clareadores para levar para casa. No consultório é realizado o isolamento dos dentes, sendo necessário uma ou duas sessões. Há também o clareamento a laser, que é realizado no consultório odontológico ou em clínicas especializadas.

 Riscos

O uso indiscriminado de produtos que clareiam os dentes pode causar inflamação nas gengivas, sangramento e, em casos mais graves, levar a ulceração e necrose da pulpa (apodrecimento da polpa). Dependendo da periodicidade, os dentes podem ficar mais sensíveis, por isso, o ideal é evitar fazer o procedimento com muita frequência. A autoprescrição do clareamento dental é tão perigosa quanto o consumo indiscriminado de medicamentos. Os riscos do clareamento dental caseiro sem orientação são muitos”, reforça a Dra. Jane Tonani.

 Indicação

O clareamento dental é contraindicado para crianças e pessoas que estejam passando por um tratamento médico sistêmico, que debilita o paciente. O procedimento é agressivo e, por essa razão, recomenda-se aguardar o tratamento em curso para então iniciá-lo.

 Recomendações

Certas comidas e bebidas podem causar a pigmentação (manchamento) dos dentes. Tais alimentos incluem café, chá, vinho, refrigerante e produtos com corante. A ingestão de sucos cítricos e alimentos que têm densidade pegajosa, como balas, podem atrapalhar o desempenho do agente branqueador e, além disso, fumar também é prejudicial à saúde bucal e pode causar manchas nos dentes. Portanto, a dica é evitar esse tipo de alimento e o hábito de fumar não apenas durante o tratamento, mas após o procedimento também. Por fim, é muito importante praticar uma boa higiene bucal, com escovação dos dentes, língua e uso do fio dental.

 

03/03/2017 - 13:00

Conecte-se

Revista Máxima