Máxima
Busca
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Comportamento / Fim de relacionamento

Especialista ensina como lidar com o fim de um relacionamento

O psicólogo Alexander Bez falou sobre o cuidado com a saúde mental após o término de um relacionamento

Máxima Digital Publicado em 15/11/2022, às 16h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Especialista ensina como lidar com o fim de um relacionamento - Freepik
Especialista ensina como lidar com o fim de um relacionamento - Freepik

Fim de relacionamento é, geralmente, uma fase muito dolorosa. O luto, a saudade, as lembranças... As emoções ficam à flor da pele e os sentimentos ficam aflorados. 

O psicólogo Alexander Bez falou sobre a importância do cuidado com a saúde mental nesse momento delicado.

Primeiro, o especialista ensinou como lidar com o término do relacionamento. "A melhor maneira de ter uma superação relacional é se abdicar das eventuais associações comparativas que as pessoas têm. Esse é um erro clássico e quase que generalizado, dependendo de como foi o término. Para superar a mágoa, é necessário superar esquecendo esse relacionamento e isso é uma tarefa muito difícil, mentalmente falando. Para isso, é preciso eliminar a comparação, e também a transferência. Ao arrumar novas relações que podem ser associativas, com traços que trazem lembranças, nunca será elaborado o luto. Toda relação conjugal precisa ter um luto. Lembrando que um término, para muitos autores de psicologia, é considerado um luto e é necessário elaborá-lo.", disse ele.

Muitas vezes, o amor-próprio fica muito abalado nessas situações: "Dependendo do que ocasionou o término, uma traição, por exemplo, gera uma questão de autoestima para mulher muito grande. Para o homem não gera tanto, porque a mentalidade masculina é diferente. Mas para a cabeça feminina essa traição detona a autoestima. Então para elevá-la, alguns fatores já ajudariam. Como participar mais com as amigas, fazer as coisas que mais gosta, cuidar de si mesma, se valorizar, e principalmente, não se culpar. Jamais ficar remoendo o passado através de ruminação psicológica."

"O problema é que se você não entra com isso imediatamente, essa baixa da autoestima vai causar uma tristeza, que como consequência pode provocar uma depressão psicológica, que vem de fora para dentro, e pode acabar causando mais transtornos emocionais em decorrência de um luto já existente.", disse.

É hora de conhecer alguém novo? O especialista explicou: "A resposta é muito simples: esquecer o fator cronológico. É dar tempo a você mesmo, especialmente a mulher, lembrando que términos são diferentes para a cabeça feminina e para a cabeça masculina. Então a mulher tem que realmente se dar mais tempo, sem ter pressa de se relacionar. Todos os relacionamentos, de acordo com autores de psicologia norte-americana, que começam logo após um término estão fadados ao insucesso conjugal. O melhor preparo é o tempo, cuidar de si mesma e adquirir autoconfiança.".

Por fim, o psicólogo falou sobre como diminuir os danos e os traumas causados pelo fim da relação.

"Precisam ser diminuídos através da elevação da autoestima. Juntamos todas as dicas anteriores, de comparações e transferências, como também da autovalorização, pois são a base, enquanto tudo isso não for resolvido, não há preparo emocional. A faísca continuará acesa, e no inconsciente, estará pensando no ex. É necessário construir um caminho com muita calma, perseverança e força de vontade. E nesse caminho, a rota também precisa ser alterada, evitar os mesmos lugares, bares e saídas, para que não tenha recaídas.", finalizou o especialista.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!