Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Coronavírus » Demissão

Durante coletiva de imprensa, Sergio Moro anuncia sua demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública

Em meio à pandemia do coronavírus, Moro lamentou o momento para o anúncio

Máxima Digital Publicado em 24/04/2020, às 12h28

Sérgio Moro pede demissão do cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública
Sérgio Moro pede demissão do cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública - Instagram

Sergio Moro convocou a imprensa para anunciar sua demissão do cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública na manhã desta sexta-feira, 24. 

Na abertura de seu depoimento, ele lamentou o fato de pronunciamento acontecer em meio a um momento de pandemia: "Queria ao máximo evitar que isso acontecesse, mas aconteceu. Não foi por minha opção"

O discurso de Moro foi inciado com o mesmo fazendo uma passagem por sua carreira profissional e ressaltou a importância da Operação Lava Jato. "Antes de assumir o cargo, fui Juiz Federal por 22 anos, tive diversos casos criminais relevantes e, desde 2014, tivemos em particular a Lava Jato, que mudou o patamar de combate à corrupção no país. Aquela grande corrupção, que em geral era impune, esse cenário foi modificado"

O pedido de demissão do Juiz aconteceu após Jair Bolsonaro decidir exonerar o delegado Maurício Valeixo do cargo de diretor-geral Polícia Federal (PF). 

Em seu pronunciamento, Moro afirmou que não concordava com o modo como o presidente havia agido na decisão e não compactuava com decisões deste tipo.

"A questão não é quem colocar, é porquê trocar. É permitir que seja feita essa interferência politica no ramo judicial", declarou Moro.  

Moro também afirmou que seu nome não deveria estar presente no documento de exoneração, uma vez que não compactuava com a decisão. "Eu fiquei sabendo da exoneração pelo Diário Oficial", disse. 

"O presidente me disse mais de uma vez, expressamente, que ele queria ter uma pessoa do contato pessoal dele, que ele pudesse ligar, que ele pudesse colher informações, que ele pudesse colher relatórios de inteligência, seja diretor, seja superintendente. E realmente não é o papel da Polícia Federal prestar esse tipo de informação", declarou. 

Por fim, ele afirmou que deixava o cargo para preservar sua carreira e completou que ainda não tem planos profissionais em mente, mas que tiraria alguns dias de descanso. 

"Tenho que preservar minha biografia, mas acima de tudo tenho que preservar o compromisso com o presidente de que seríamos firmes no combate à corrupção, a autonomia da PF contra interferências políticas", falou. 

Sergio Moro deixou o cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública após um ano e quatro meses. 

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI