Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Saúde e Bem Estar / Melasma

Melasma: saiba quais os cuidados essenciais para a prevenção das manchas

Dermatologista explica quais são os tratamentos mais eficazes para diminuir o problema que não tem cura

Máxima Digital Publicado em 26/05/2021, às 12h34

Melasma: saiba quais os cuidados essenciais para a prevenção das manchas - Instagram
Melasma: saiba quais os cuidados essenciais para a prevenção das manchas - Instagram

Embora o termo seja muito comum, nem todas as pessoas sabem o que significa melasma – e algumas até se assustam com o nome.

Recentemente, o tema voltou a ser assunto quando Cleo revelou que vive com essa questão. Na ocasião, a atriz desabafou que passou por momentos turbulentos, mas que agora está se tratando de forma adequada, ficando mais tranquila por conhecer melhor sobre o que a enfermidade pode causar em seu corpo.

O melasma é uma doença que leva ao surgimento de manchas mais escuras na pele e não tem cura, apenas tratamento. Geralmente, essas marcas surgem em locais que estão mais expostos à luz solar, como: mãos, rosto, braços e colo.

“O fato é que quando nos expomos à luz solar sem proteção, nosso corpo acaba sintetizando mais melanina para nos proteger da radiação. A melanina se apresenta com a cor amarronzada e quando se deposita na pele, acaba gerando as manchinhas de melasma, que acometem mulheres dos 20 aos 50 anos”, conta a dermatologista Dra. Priscila Camara de Camargo.

Segundo a médica, existem subdivisões para os tipos de melasma. O primeiro deles é o melasma dérmico, que ocorre quando há um depósito de melanina em torno de vasos profundos e superficiais da pele.

O segundo é chamado melasma epidérmico, que se dá quando o pigmento ocorre na camada mais superficial da pele, a epiderme. 

O melasma misto é quando atinge áreas da derme e da epiderme em simultâneo.

O que causa o melasma? Vários fatores podem contribuir para o surgimento das mancha, como a exposição solar sem protetor, desequilíbrios hormonais, uso de alguns tipos de medicações ou anticoncepcionais, determinadas doenças e gravidez.

“A maioria dos casos estão relacionados com a exposição solar, por isso é importante caprichar no uso de protetor com alto fator de proteção, sempre acima de 30 FPS”, destacou a especialista.

O tratamento do melasma pode variar bastante, mas é essencial o acompanhamento de um dermatologista especializado, pois somente o profissional poderá recomendar um protocolo eficaz. Mas de acordo com a Dra., é possível tomar alguns cuidados para prevenir o surgimento das manchinhas.

Confira:

1. Use protetor solar diariamente

O uso de protetor solar previne o melasma, diminui a piora de um quadro já existente e também contribui para toda a saúde – seja da pele ou do organismo como um todo. Além de diminuir as complicações com rugas e linhas de expressão, o uso diário de fatores de proteção solar também é capaz de prevenir os danos celulares causados pela radiação, que podem levar até ao desenvolvimento de câncer.

2. Evite medicamentos que possam agravar o quadro

Se você já tem predisposição para o melasma, converse sempre com um médico antes de iniciar tratamentos de reposição hormonal ou com pílulas anticoncepcionais, para que não prejudique ainda mais sua situação.

3. Capriche em uma alimentação rica em antioxidantes

Os alimentos antioxidantes nos livram dos radicais livres do organismo e promovem o clareamento da pele, principalmente aqueles ricos em luteína. Por isso, aproveite os benefícios dos vegetais verde-escuros, tomate, pimentão e cenoura.

“Lembre-se que além de minimizar as manchinhas de melasma, usar filtro solar reduz as chances de desenvolvimento de câncer de pele e também diminui o surgimento dos sinais do envelhecimento”, finalizou a dermatologista.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI