Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima
Famosos » BRUNA SURFISTINHA

Após declaração do presidente, Raquel Pacheco dispara: ''Me chame de puta mas não me chame de Bolsominion''

A ex-prostituta detonou o presidente da República, Jair Bolsonaro

Máxima Digital Publicado em 23/07/2019, às 09h57 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Raquel Pacheco
Raquel Pacheco - Reprodução/Instagram

Raquel Pacheco, a Bruna Surfistinha, causou comoção em suas redes através de um comentário feito no Twitter.

A loire. que é ex-prostituta e autora de livros, ganhou profunda notoriedade por levantar a bandeira da prostituição. 

Além do livro 'O Doce Veneno do Escorpião', Bruna ganhou filme, 'Bruna Surfistinha', protagonizado pela atriz Deborah Secco.

Em meio às últimas críticas do presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, ao filme que retrata parte da vida da escritora, Raquel se manifestou em suas redes:

"Me chame de puta, mas não me chame de Bolsominion", escreveu ela.

Na última quinta-feira,19, a empresária voltou a comentar as falas do político:

“Sobre mais uma infeliz declaração do Bolsonaro, eu digo que ele, antes de fazer juízo de valor sobre os outros, deveria cuidar da moral da própria família. E ainda do nosso país. Afinal, ele está cuidando demais do que não precisa e fazendo pouco o dever dele principal: que é ser presidente”, disse.

Deborah Secco, intérprete da ex da garota de programa no cinema, também reagiu às declarações do líder do PSL: 

“Fico um pouco chocada porque o filme retrata uma história real não só da Raquel, mas de outras milhares de mulheres que se encontram nessa situação. O que a gente queria com o filme era debater e falar sobre como nós, como a população, lida com essa realidade”.

Nesta segunda-feira, 22, Bolsonaro voltou a falar sobre o filme 'Bruna Surfistinha'.

Em entrevista, o capitão disse que não pretende censurar o filme que foi lançado em 2011.

Porém, ele afirmou que não pode admitir que qualquer filme pornô seja financiado com dinheiro público.