Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Os 10 erros mais comuns de quem usa lentes de contato

A praticidade e o conforto das lentes de contato atraem cada vez mais usuários. Conheça quais são os principais erros e fuja das infecções.

Máxima Digital Publicado em 24/02/2015, às 12h34 - Atualizado em 22/08/2019, às 01h40

Lentes de contato
Lentes de contato - ShutterStock

Usar lentes de contato pode ser um verdadeiro alívio para quem foge dos óculos, mas sem os cuidados certos você pode acabar expondo seus olhos a um grande risco. Negligenciar esta prática pode provocar úlcera de córnea e conjuntivite alérgica. Os principais sintomas destas doenças são dor durante ou depois de tirar as lentes de contato, lacrimejamento, secreção, visão borrada, olho vermelho, desconforto e aversão à luz”, ressalta Dra Rachel Gomes, especialista do Hospital de Olhos Paulista.

Se você um dos 2,5 milhões de usuários de lentes de contato do Brasil, anote as dicas para evitar problemas:

1) Uso sem orientação médica: A indicação de um oftalmologista é imprescindível. O item deve ser personalizado e adequado às necessidades de cada um. Nunca comprar este tipo de produto pela internet, feiras ou em camelôs;

2) Limpeza: Ao contrário do que muita gente pensa, o soro fisiológico não tem propriedades necessárias para a higienização. Há no mercado produtos específicos para lavar as lentes de contato e que proporcionam limpeza e conservação de maneira adequada e sem risco. Estes cuidados valem para as lentes de contato gelatinosa e rígida;

3) Make: É possível usar maquiagem, mas alguns cuidados devem ser seguidos: verificar a validade de cada item, armazenar em lugar seco e arejado, evitar deixar no banheiro, evitar compartilhar os produto, principalmente máscara para cílios, lápis de olho e pinceis. Remover adequadamente a maquiagem é muito importante e é recomendado tirar as lentes. Na região dos olhos o ideal é usar shampoo neutro para bebê ou espuma Frex Clean;

4) Sono: dormir com as lentes de contato é o principal fator de risco para úlcera de córnea. Durante o sono, a córnea é nutrida pela pálpebra. A presença da lente de contato dificulta a nutrição e oxigenação da córnea, causando pequenas lesões que podem infeccionar. Deve-se evitar ao máximo dormir com as lentes;

5) Saliva: com a vida corrida algumas pessoas costumam pular etapas importantes e essenciais para manter a saúde ocular. Usar saliva para limpar as lentes é um erro gravíssimo. A saliva tem diversos micro-organismos que podem proliferar e causar infecções;

6) Tempo de uso: o ideal é remover as lentes de contato ao chegar em casa. A córnea depende de oxigênio e nutrientes fornecidos pelas pálpebras e pela lágrima. Por isso, ficar um tempo do dia sem as lentes é fundamental. Principalmente para dormir;

7) Uso inadequado de colírios: Não utilize nenhum tipo de colírio sem a orientação de um oftalmologista. O uso inadequado de algumas substâncias pode causar problemas oculares sérios e muitas vezes irreversíveis, inclusive cegueira. Fórmulas caseiras não devem ser utilizadas como colírios;

8) Ar condicionado: ambientes com baixa umidade do ar provocam aumento da evaporação da lágrima e podem causar sensação de olho seco em pacientes usuários de lentes de contato. Tenha sempre um lubrificante recomendado pelo seu oftalmologista à mão;

9) Água corrente: a água não tem propriedades necessárias à conservação das lentes. E também pode estar contaminada. 

10) Troca: as caixas de lentes de contato devem ser esterilizadas uma vez ao mês (em água fervente por 30 minutos) e trocadas a cada seis meses. Lavar bem as mãos com água e sabão antes de por e tirar as lentes. Não enxugar as mãos em toalhas de tecido.

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI