Máxima
Facebook MáximaTwitter MáximaInstagram MáximaGoogle News Máxima

Entenda o que é a Anquiloglossia, doença que fez filho recém-nascido de Laura Keller passar por cirurgia

O pediatra e neurologista infantil Clay Brites falou sobre os cuidados necessários para a saúde do bebê

Gabriele Salyna Publicado em 11/08/2020, às 16h12

Entenda o que é a Anquiloglossia
Entenda o que é a Anquiloglossia - Instagram

Laura Keller compartilhou que Jorge Emanuel, seu filho recém-nascido, enfrentou uma cirurgia na última segunda-feira, 10. Em sua postagem, a atriz explicou que o pequeno nasceu com Anquiloglossia e realizou um procedimento cirúrgico. 

Para entender mais sobre a doença que o pequeno se curou, a Máxima Digital conversou com o pediatra e neurologista infantil Clay Brites.

O médico explicou qual é o procedimento mais adequado para lidar com a Anquiloglossia, o tratamento e quais são os riscos para o bebê.

MÁXIMA DIGITAL: O que é anquiloglossia? É comum bebês nascerem com anquiloglossia?

CLAY BRITES:É a permanência, persistência, do chamado frênulo lingual, que é uma membrana bem grossa que nasce com a criança embaixo da língua. Quando é pequena não te nenhum efeito, mas quando é grande, pode levar a restrições de movimentação da língua. Então forma como se fosse uma membrana embaixo da língua impedindo uma movimentação plena. 

MÁXIMA: Como o pediatra faz o diagnóstico?

CLAY: É relativamente comum bebês nascerem com Anquiloglossia. Logo após o nascimento da criança, entre as primeiras 24h às 48h, o pediatra tem que examinar o bebê. Já no primeiro exame físico, ele deve verificar se a membrana está presente. Isso tem que ser uma rotina no exame físico do recém-nascido. 

Às vezes, na hora que a criança chora, você já pode perceber isso: quando a língua fica invertida para baixo, em vez de subir de forma pontiaguda, ao deslocar a língua para cima, é possível observar a membrana.

MÁXIMA: O freio da língua curto prejudica na hora da amamentação?

CLAY:Esse frênulo bem grosso, ou como popularmente é chamado de freio bem grosso, que leva ao encurtamento da língua e uma menor flexibilidade, pode atrapalhar a amamentação sim. Por via das dúvidas, deve ser feito o precedimento de corte desse frênulo. 

MÁXIMA: É necessário fazer cirurgia? É um procedimento simples?

CLAY:O procedimento cirúrgico é importante sim. Ele deve ser feito, de preferência, num período de 24h às 48h desde o nascimento. Num período em que esta região ainda não tem sensibilidade nenhuma, inclusive, você pode fazer o corte sem anestesia. 

É um procedimento simples. Você pode fazer com um material adequado, um material rotineiramente utilizado. Ele também pode ser feito de forma muito fácil com uma espátula cortada em cunha em uma das pontas. Esse corte em cunha permite que a gente possa fixar a língua para cima e evidenciar a membrana.

MÁXIMA: Caso não seja feita a cirurgia quais são os problemas futuros que podem surgir?

CLAY:O maior prejuízo, caso não seja feito nada, é o aleitamento e, mais tarde quando a criança começar a falar, ela pode vir a ter dificuldade para articular as palavras. Entao o ideal é que seja feita essa cirurgia de forma rotineira, precoce, logo nas primeiras 24h às 48h de vida

ACOMPANHE AS NOVIDADES MAIS QUENTES DO MUNDO DOS FAMOSOS PELO INSTAGRAM TAMBÉM. CLIQUE AQUI